Saiba a importância e as principais dicas para o Monitoramento do Diabetes

Você costuma monitorar a sua glicemia diariamente? Esta é a ferramenta mais importante no seu papel para o tratamento do Diabetes.

 A IMPORTANCIA DA AUTO MONITORIZAÇÃO

Pessoas com diabetes desempenham um papel central no seu próprio tratamento, através de cuidados como: a dieta, o exercício, o uso correto das medicações e a automonitorização glicêmica.

A automonitorização glicêmica é a prática do paciente diabético medir regularmente a sua própria glicemia através de fitas e/ou aparelhos de uso doméstico.

Medir freqüentemente os níveis de glicose no sangue, através do uso de aparelhos portáteis no sangue da ponta dos dedos, é uma oportunidade para o diabético assumir o controle da sua própria saúde. Essa é uma das melhores maneiras de determinar se o tratamento para o diabetes está sendo efetivo, isto é, se a glicemia está sendo mantida o mais próximo do normal possível.

FREQUÊNCIA DAS MEDIÇÕES

A freqüência da automonitorização vai depender, em primeiro lugar, do tipo de diabetes. Além disso, varia com outros fatores, que podem alterar os níveis de glicemia, e com as metas do tratamento.

Pacientes com diabetes tipo 1( MEU CASO)  – Estes pacientes precisam manter a glicemia tão próxima do normal quanto possível. Para isso, a monitorização diária da glicose sangüìnea é indispensável. O número de medidas por dia varia de paciente para paciente. Idealmente, a maior parte dos pacientes com diabetes tipo 1 precisa fazer medidas de glicemia de 3 a 4 vezes por dia. Pacientes em tratamento mais intensivo (contagem de carboidratos, bomba de infusão de insulina etc) precisam fazer até 7 medidas por dia.

Sugestões de horários para as medições:

  1. Jejum
  2. Após cafe da manha
  3. Antes do almoço
  4. Pos prandial I
  5. Final da tarde
  6. Antes do jantar
  7. Pos prandial II, jantar
  8. Antes de dormir

Como  a automonitorização glicêmica produz muitos números. O paciente deve discutir com o seu médico o que significam esses números, como registrá-los e como usá-los para melhorar o controle dos níveis de glicose.

Em geral, toda medida de glicemia deve ser registrada. O paciente deve anotar: o valor da glicemia, a hora do dia em que foi medida, a dose da medicação usada, o tempo decorrido desde a última refeição, se foi feito exercício recentemente e a presença de qualquer doença ou stress.

Vários dias de monitorização são necessários para definir um padrão da glicemia durante o dia e para permitir ajustes na medicação ou nos hábitos de vida do paciente.

Diabéticos tipo 1 em tratamento intensivo podem ajustar sua própria dose de insulina antes das refeições, de acordo com a medida da glicemia nesses momentos.

Diabéticos do tipo 2 podem usar os seus registros de glicemia para avaliar a efetividade do seu tratamento e para fazer pequenos ajustes.

Se você tem Diabetes e ainda não criou o hábito  de monitorar sua glicemia em casa diariamente, converse com seu médico para iniciar este tratamento. Pode até parecer complicado, chato, doloroso…mas tenha certeza que essas gotinhas diárias de sangue farão com que a doença não atrapalhe em nada sua rotina e, ao contrário do que muitos pacientes pensam no início ( e eu já fui assim) , vai só melhorar sua disposição, seu trabalho e seu convívio social. Experimente!
Você sabia que o Dr. CUCO está preparando uma nova versão de seu aplicativo que te ajuda a lembrar dos seus remédios e também de realizar o monitoramento da sua glicemia? Confira mais clicando aqui.

Quem escreve:

aline_clube_diabetes

Aline Peach Arruda Botelho é publicitária há 20 anos. Convive com Diabetes tipo 1 há 37 anos e é fundadora do site Clube do Diabetes há 4 anos, onde leva informação ao público sobre saúde, bem estar, qualidade de vida

Deixe uma resposta

Bitnami