Você conhece os Alimentos Funcionais e os benefícios que eles nos trazem?

Olá!

Dando continuidade à conversa do mês passado, quando falamos sobre alimentos integrais, o assunto dessa vez são os tão amplamente divulgados alimentos funcionais.

São chamados de funcionais os alimentos que além de suas propriedades nutricionais básicas também apresentam compostos que oferecem outros benefícios à saúde.

Vamos conhecer alguns dos principais compostos funcionais estudados pela ciência e suas fontes?

Composto Ação Alimentos onde podem ser encontrados
Isoflavonas Redução dos sintomas da menopausa e anti-câncer Soja e derivados
Proteínas de soja Redução dos níveis de colesterol Soja e derivados
Ácidos graxos ômega-3 Redução do LDL – colesterol (colesterol ruim); ação antiinflamatória; indispensável para o desenvolvimento do cérebro e da retina de recém nascidos Peixes de água salgada, como sardinha, salmão, atum, anchova, arenque, etc
Ácido linolênico Estímulo do sistema imunológico e ação antiinflamatória Óleos de linhaça, colza, soja; nozes e amêndoas
Catequinas Redução da incidência de certos tipos de câncer, redução do colesterol e estímulo do sistema imunológico Chá verde, cerejas, amoras, framboesas, mirtilo, uva roxa, vinho tinto

 

Licopeno Antioxidante, redução dos níveis de colesterol e do risco de certos tipos de câncer, como de próstata Tomate e derivados, goiaba vermelha, pimentão vermelho, melancia
Luteína e Zeaxantina Antioxidantes; proteção contra degeneração macular (olhos) Folhas verdes (luteína). Pequi e milho (zeaxantina)
Indóis e Isotiocianatos Indução de enzimas protetoras contra o câncer, principalmente de mama Couve flor, repolho, brócolis, couve de bruxelas, rabanete, mostarda
Flavonóides Atividade anti-câncer, vasodilatadora, antiinflamatória e antioxidante Soja, frutas cítricas, tomate, pimentão, alcachofra, cereja
Fibras solúveis e

insolúveis

Redução do risco de câncer no intestino, melhora do funcionamento intestinal. As solúveis podem ajudar no controle da glicemia e no tratamento da obesidade, pois dão maior saciedade Cereais integrais como aveia, centeio, cevada, farelo de trigo, etc; leguminosas como soja, feijão, ervilha, etc.; hortaliças com talos e frutas com casca
Prebióticos – frutooligossacarídeos, inulina Ativação da microflora intestinal, favorecendo o bom funcionamento do intestino Extraídos de vegetais como raiz de chicória e batata yacon
Sulfetos alílicos (alilsulfetos) Redução do colesterol e da pressão sanguínea, melhora do sistema imunológico e redução do risco de câncer no estômago Alho e cebola
Lignanas Inibição de tumores hormônio-dependentes Linhaça, noz moscada
Tanino Antioxidante, anti-séptico, vaso-constritor Maçã, sorgo, manjericão, manjerona, sálvia, uva, caju, soja
Estanóis e esteróis vegetais Redução do risco de doenças cardiovasculares Extraídos de óleos vegetais como soja e de madeiras
Probióticos (Bifidobactérias e lactobacilos) Favorecimento das funções gastrointestinais, reduzindo o risco de intestino preso e câncer no intestino Leites fermentados, iogurtes e outros produtos lácteos fermentados

Fonte: Biblioteca Virtual de Saúde (adaptado)

 

Um dos benefícios muito presentes nos alimentos funcionais é a capacidade antioxidante. Ok, mas o que isso significa?

Nosso organismo produz radicais livres, moléculas resultantes de processos naturais do nosso corpo e que podem entrar em algumas células e danificá-las. Esses danos provocam desde o envelhecimento celular até doenças, como o câncer. Os alimentos antioxidantes agem na prevenção dos danos provocados pelos radicais livres, através de mecanismos que impedem sua formação, impedem seu ataque e até mesmo reparam algumas lesões e regeneram algumas células afetadas. Por isso os antioxidantes são muito importantes na nossa dieta!

É importante ressaltar que a ação dos alimentos funcionais acontece em um prazo mais longo. Portanto, para desfrutar dos benefícios desses alimentos é preciso que o seu consumo seja regular, ou seja, torne-se um hábito em sua rotina alimentar. Além disso, de nada adianta consumir alimentos funcionais se o restante da alimentação for cheio de alimentos ultraprocessados e de baixo valor nutricional, não é verdade?

E falando em ultraprocessados, existem muitos alimentos que fazem propaganda enganosa de suas propriedades funcionais. Alguns compostos funcionais perdem a função quando submetidos a processos industriais e/ou aquecimento. Fique atento!

Existe uma linha de trabalho na nutrição que é fortemente voltado para a alimentação funcional. Os profissionais com aprofundamento nessa temática podem te ajudar a incluir os alimentos funcionais no seu cotidiano de forma personalizada, combinando com seus hábitos alimentares e potencializando os resultados.

Para encerrar: Os alimentos funcionais são essenciais para a nossa saúde. Entretanto, eles não devem ser tratados como “milagrosos”, mas sim como aliados nas mudanças de comportamento rumo a uma alimentação mais saudável.

 

Até mais! 🙂

20161225_0332031
Elizangela Camargo Rodrigues
Nutricionista, especialista em Nutrição Materno Infantil e mestranda em Nutrição pela UFSC. É membro do Grupo de Pesquisa Comportamento e Consumo Alimentar – UFSC.

Deixe uma resposta

Bitnami